Cemiostoma del Melo

Cemiostoma del Melo

O cemiostoma da macieira ou dos leucoptera malifoliella (= scitella) custa


O cemiostoma da macieira é um pequeno inseto parasita que ataca diferentes tipos de árvores frutíferas, incluindo a macieira, a pereira, a ameixeira e a nêspera. É um microlepidóptero que, no estado larval, escava túneis em espiral nas folhas da planta para se alimentar do tecido foliar: isso determina a necrose de diferentes áreas da superfície foliar causando seu desapego à planta. Este fenômeno é detectável pela presença das chamadas "minas", ou seja, as manchas arredondadas deixadas pela passagem das larvas. A perda de folhas produzida dessa maneira dificulta a fotossíntese da clorofila da planta, comprometendo gravemente seu estado de saúde. Quando os frutos já estão formados, as crisálidas nidificam no "cálice" do próprio fruto: isso não prejudica a qualidade dos frutos, mas tem repercussões no processo de comercialização, pois dificulta as exportações para países estrangeiros.

Classificação e descrição



O cemiostoma da macieira pertence à família dos lepidópteros e é classificado na espécie L. malifoliella (= scitella) costa. No estado adulto, esse inseto aparece como uma pequena borboleta com uma envergadura de cerca de 8 milímetros: o corpo tem uma cor amarelo-preto, enquanto as asas são cinza-prateadas. Os ovos, de cor esbranquiçada, são depositados na parte inferior das folhas, onde, a partir do momento do nascimento, as larvas se alimentam dos túneis de escavação mesofílica de forma concêntrica e depositam seus excrementos neles. O ciclo biológico anual conta de duas a cinco gerações, que se seguem de maio ao final do período de verão. Em alguns casos, a crisálida pode nidificar nos frutos, em vez de nas folhas da planta.

Danos causados ​​à saúde das plantas



O dano causado pelas obras de escavação das larvas do cemiostoma da macieira resulta na impossibilidade de a planta realizar a fotossíntese da clorofila. As áreas necróticas deixadas pelos insetos, muitas vezes numerosas e de tamanho considerável, desvitalizam o tecido foliar causando o desprendimento das folhas: em caso de infestação severa, pode ocorrer uma filoptose muito grave ou uma queda maciça que priva a planta de sua folhagem. A doença afeta mais macieiras e pereiras, mas também pode afetar outras árvores frutíferas, como a nêspera, a cereja, a ameixa e a bétula: em todos os casos, esse tipo de infestação é detectável pela presença de manchas arredondadas na cor escuro na camada superior das folhas. Essas manchas também podem se estender a toda a superfície das folhas causando sua morte.

Cemiostoma del Melo: Procedimentos para erradicar a infestação



O cemiostoma da macieira só pode ser tratado usando procedimentos de amostragem com base nos quais a estratégia mais correta a seguir pode ser determinada. A amostragem envolve a retirada de uma certa quantidade de folhas da parte central das plantas: passa a contar os ovos, larvas e minas presentes nas amostras para estabelecer a extensão e o progresso da infestação. Em seguida, intervém com produtos químicos destinados a inibir o crescimento de larvas, que devem ser usadas na postura dos ovos. Os produtos mais difundidos e utilizados para esse fim são os inibidores de quitino, mas quando as minas já estão em estágio avançado, é possível intervir com os inseticidas "Metomil" ou "Carpat", que agem contra larvas e indivíduos adultos.